Foi sem dúvida um grande ano para o FC Porto que começou a época 2010/2011 a conquistar a Supertaça Cândido Oliveira frente ao Benfica. Mas a rivalidade entre Azuis e Encarnados não se ficou por aqui. Depois de ter goleado o Benfica por 5-0 na primeira volta do campeonato, o FC Porto sagrou-se campeão nacional em pleno Estádio da Luz.

Antes da conquista da Taça de Portugal no Estádio do Jamor frente ao Vitória de Guimarães, o FC Porto marcou presença na final da Liga Europa, em Dublin, onde acabou por conquistar o troféu europeu frente ao vizinho Sporting de Braga.

O ano dos Dragões encerrou com a saída de André Villas-Boas para o Chelsea, deixando as funções de técnico principal para o seu adjunto, Vítor Pereira.

O ano de 2011 ficou marcado pelo quinto apuramento consecutivo de Portugal para uma fase final de um campeonato da Europa.

Paulo Bento foi o líder da equipa das quinas, mas não escapou à polémica com Ricardo Carvalho e Bosingwa, que acabaram por deixar a Seleção Nacional.

Portugal conseguiu alcançar o objetivo de estar presente no Euro 2012, depois de uma fase de apuramento onde foi preciso correr atrás dos pontos perdidos no arranque da qualificação. O passaporte para o Europeu foi carimbado com um emotivo play-off com a Bósnia-Herzegovina.

2011 foi um ano cheio de emoções no desporto mundial, mas também um ano marcado por muitos episódios insólitos.

Da “mítica” conferência de Paulo Futre ao dedo de José Mourinho no olho do adjunto do Barcelona, passando ainda pelo jeito de Neymar para a dança, foram vários os casos que nos surpreenderam e nos deixaram com um sorriso nos lábios.

Cronologia

« Voltar

Como em todos os anos, o desporto deu a conhecer novos campeões. Dos derrotados não reza a história, mas em 2011 não foi bem assim.

Os jovens portugueses que foram ao Mundial de Sub20, na Colômbia, quase igualaram o feito da geração de ouro. O sonho terminou na final frente ao Brasil.

No ténis subiu ao trono Djokovic, e Stoner e Vettel foram reis nos motores.

E também aqui houve um nome português: Hélder Rodrigues foi o desportista do ano e sagrou-se campeão do Mundo de todo-o-terreno.

Portugal tem vários treinadores que levam o futebol nacional aos quatro cantos do mundo. 2011 foi um ano rico em conquistas para alguns dos técnicos portugueses mais prestigiados.

José Mourinho venceu em Janeiro o prémio FIFA para o melhor treinador do Mundo devido ao seu sucesso no Inter de Milão. Já no Real Madrid, em ano de estreia conquistou a Taça do Rei.

Na Grécia, Fernando Santos também teve um ano de sucesso. O selecionador grego cumpriu o que lhe foi pedido e qualificou a Grécia para o Euro 2012. Mas nem só na Europa os portugueses fazem sucesso.

No continente Asiático, mais precisamente na China, Jaime Pacheco viu o seu trabalho ser reconhecido. O técnico conquistou o segundo lugar com Beijing Guoan e foi reconhecido como treinador do ano pelo semanário Titan.

Ano sem Cristiano Ronaldo não é ano. É certo que CR7 apenas venceu a Taça do Rei pelo Real Madrid, mas a sua veia goleadora valeu-lhe a Bota de Ouro em 2011. Em 54 jogos pelos merengues apontou 53 golos. Uma marca que o faz entrar na história de um dos melhores clubes do Mundo. Além disso, voltou a ser decisivo na Seleção Nacional, tendo sido também o melhor marcador da equipa das quinas na fase de apuramento para o Euro2012.

Ricardinho e uma bola significam magia. O jogador que cresceu no Benfica e que depois rumou ao Japão, recebeu este ano o prémio de melhor jogador do Mundo de futsal. Uma distinção inédita para um atleta luso e que o coloca ao lado de nomes como os dos brasileiros Falcao e Schumacher. Depois do país nipónico, agora espalha magia na Rússia.